• LinkedIn
  • Subcribe to Our RSS Feed
Browsing "Metricas e Produtividades"

O Que as Grandes Empresas Viticolas Fazem mas não Dizem

Hoje escrevemos sobre um tema essencial para aumentar a sustentabilidade económica do nosso negócio de produção de vinhos… Entender qual o verdadeiro valor entre Vinhos de Guarda (gama premium) e os Entrada de Gama numa empresa Vitivinícola.

O Ponto de Vista do Empresário

A meu ver a vitivinicultura é um negócio de “Status Social”,  digo isto porque a muito da “industria” passa por grandes empresários, médicos e advogados, é certo que trazem sérias mais valias ao negócio, mas entram nele com a intenção e a ilusão de produzir vinhos de alta qualidade… Esquecendo que são os entradas de gama, que dão movimento ao projecto vitivinícola… Não acredita? pergunte por exemplo às detentoras de grandes marcas, que detêm marcas de vinhos que bebemos todos os dias (não quero particularizar), qual é o impacto destes na facturação anual…?O impacto certamente é tremendo nas contas finais da empresa… Porque são para consumir todos os dias, são vinhos de combate… Enquanto vendemos 1 garrafa de gama premium saem da nossa adega 1000 garrafas de Entradas de Gama/Gama Média.

Muitas vezes é o próprio investidor/empresário que não entende esta dinâmica sobrepondo a paixão, o mediatismo que o projecto quer alcançar ao pragmatismo que o projecto deve exigir.

A meu ver, a gama Premium deve ser de âncora a todo o projeto, deve dar visibilidade pelos prémios, pelas referências na imprensa especializada e ter a capacidade de potenciar esse mesmo mediatismo.

Como a Viticultura pode Ajudar

E qual o papel da viticultura?

A viticultura joga um papel importante na diferenciação do produto e sustentabilidade do negócio, primeiro porque não posso produzir uvas de 0,50€ a entrarem em lotes de gama media/baixa e segundo… dentro da vinha, por mais pequeno que ela seja, encontro uvas “muito boas” e uvas “menos boas”, podendo por vezes esta diferença ser tremenda e a enologia prefere sempre a homogeneidade de baixa qualidade à heterogeneidade da parcela.

É essencial conhecer a parcela ou vinha, descobrir os melhores “spot’s” de uva, aqueles onde a uva apresenta as maiores quantidade de antocianas por ex. e neste aspecto o mapeamento NDVI pode ser uma grande ajuda… e uma potente ferramenta para o descobrir.

Catalogando e diferenciando qualitativamente a vinha, podemos adequar as operações culturais (mondas, rega, fertilizações, podas etc) ao potencial enológico da vinha/casta ou talhão, induzindo uma maior/menor produção consoante o destino da uva…

Como assim?

Podemos produzir bem mais em vinhas em que a uva se destina a Entradas de Gama… reduzindo assim o valor €/kg de uva… Podendo por vezes surgir surpresas… com vinhas de 10.000Kg/ha a darem origem a vinhos de guarda.

Em estilo de conclusão… O que as grandes empresas fazem mas não dizem é muito simples… Sabem perfeitamente que devem diferenciar as práticas e as técnicas na vinha, reduzindo assim o custo da uva e canalizando-a à partida para lotes de entrada de gama, aumentando assim a sustentabilidade e o valor do negócio.

Portanto se vai empreender algum negócio vitivinícola, não esqueça… Seja pragmático… Inicie com a produção de gamas mais baixas, pois estas geram retornos mais rápidos e vá crescendo o seu portefólio consoante vai aumentando o conhecimento da sua vinha…

Porque todos gostamos do reconhecimento ao nosso projeto

Quer Saber Mais Sobre Nós…  

Entre em Contato…

Subscreva a nossa Newsletter


Os Nossos KPI’s

Abr 12, 2015   //   by Pedro Tereso   //   Gestão de Rega, Metricas e Produtividades, Sustentabilidade  //  No Comments

Qualquer gestor, na gestão da sua empresa costuma acompanhar uma série de Indicadores Chave de Performance, os chamados KPI’s (Key Performance Indicator)… E nós também temos os nossos para verificar a performance da nossa gestão de rega…Custos Energia

Um dos lemas do nosso trabalho é o “medir para gerir…” e o que pretendemos, é olhar para a nossa gestão ao longo da campanha de rega e avaliar ao fim do ano o que se passou na nossa vinha. O levantamento de diversos parâmetros (qualitativos e quantitativos) tanto da uva como da vinha e os consumos de água por parte da planta, permite-nos obter alguns KPI’s importantes para avaliar a eficiência e performance da nossa estratégia de rega.

Quais os Nossos KPI’s?

Cada “gestor de rega” deve criar os seus próprios KPI’s, aqueles com os quais se sente confortável e que gosta de trabalhar, para que de alguma forma obter uma melhoria continua na performance da sua gestão ao longo dos anos, mas… É nossa opinião que deve desde logo saber quantos litros de água gasta para produzir um quilograma de uvas e a relação entre a rega e os consumos da planta… Estes são aqueles com que nos identificamos… e bons indicadores da nossa eficiência… Como os calcula? Isso é outra conversa… Para saber mais terá mesmo que nos contactar…

Para saber mais…Entre em Contato…